Primeiros passos na direção do intercâmbio entre as Mulheres Beneditinas
após o Vaticano II (1968 – 1988)

No parágrafo 23 do Decreto “Perfectae Caritatis”, o documento Conciliar que trata da renovação da vida religiosa, as conferências e concelhos de superiores maiores são expressamente encorajados a criar pequenas comunidades e sair do isolamento partilhando seu potencial. Desde 1893 o Congresso dos Abades tem sido semelhante a uma Conferência de Superiores Maiores incluindo todos os mosteiros beneditinos masculinos. Desde 1965 ficou bem claro que deve ser feita alguma coisa para criar uma possibilidade semelhante para as Mulheres Beneditinas.

1968

O Sínodo de Abades Presidentes sob a direção do Abade Primaz Rembert Weakland votou que, o Abade Primaz deveria formar uma Comissão para monjas e irmãs e que esta comissão seria dividida em dois setores, mas ambos sob a mesma secretaria. Ficou também decidido que estes dois grupos consultivos seriam formados por igual número de homens e mulheres. ( Carta circular do Abade Primaz para as mulheres Beneditinas datada em 28 de outubro de 1968.) Estas duas comissões se encontraram separadamente com o Abade Primaz várias vezes nos anos seguintes.

1972

No Sínodo dos Presidentes ficou decidido convidar a Comissão de Monjas e várias Prioresas Gerais das Irmãs Beneditinas para o Congresso dos Abades como ouvintes.

1980

A Confederação organizou um Simpósio Centenário para celebrar os 1500 do nascimento de S. Bento. Foram convidadas, como representantes das mulheres, 55 entre abadessas e prioresas. Esta foi a primeira vez que Abadessas e Prioresas Beneditinas, Monjas e Irmãs, de diferentes tradições e diferentes partes do mundo estiveram juntas em Roma – porém, ainda como hóspedes, do Congresso dos Abades.

1984

As duas comissões se reuniram pela primeira vez para discutir possibilidades de um encontro de articulação para monjas e irmãs.

1987

As Irmãs Beneditinas convidaram - 16 monjas e 40 irmãs, para uma assembleia com o tema:” Implicações da Regra Beneditina para a vida das Mulheres Beneditinas”, na Casa Santo Espírito, o Generalato das Irmãs Beneditinas Missionárias de Tutzing em Roma. Este primeiro Simpósio organizado pelas irmãs abriu novo campo de cooperação entre monjas e irmãs.

1988

As duas Comissões sob a direção do Abade Primaz Victor Dammertz fundiram-se. Representantes das mulheres beneditinas de 18 regiões (mais tarde 19) de todo o mundo, assim como uma Prioresa Geral de uma congregação internacional com sua Casa Mãe em Roma e uma representação da organização AIM se reuniram. Uma Comissão Executiva foi articulada para a organização do próximo Simpósio. O Comitê Executivo esboçou os primeiros estatutos da Comissão com a ajuda do Abade Primaz Victor.